26 de abr de 2011

Pra viajar na decoração



Assim, não vai faltar assunto com as visitas! Mais uma dica fofa da Julia Petit.

25 de abr de 2011

Vasinhos lúdicos

Achei superdivertida essa dica da Julia Petit. Quem sabe um daqueles bebezões de plástico não dá um ótimo porta-samambaia?

Radicalismo pós feriado

Depois de quatro dias em casa, com tempo de sobra pra fazer alguma/qualquer atividade física, não fiz nada metabolisticamente produtivo. E para agravar a situação, meus filhos ganharam tantos ovos de Páscoa que me surpreendi. Então pensei o seguinte: vou ter que radicalizar.
E o bode expiatório vai ser o pão. Cortar chocolate é óbvio demais. Se eu mudar o foco e criar outro problema, nem vou lembrar dos chocolates lá em cima no armário. E, se tudo der certo, matarei dois coelhos (o da Páscoa inclusive) com uma marretada só.
Eu até consigo sobreviver sem chocolate. Agora sem pão?!! Seria radical demais, quase impossível, uma experiência pra entrar no Guinness. Vou deixar de comer meu(s) amado(s) pãozinho(s), que tanto me enche de calorias e alegrias, em troca de uma cintura mais proporcional à minha estatura. Os jeans vão agradecer.
Se eu conseguir tirar o pão por completo da minha rotina, nem que seja por uma semana pra fazer o teste, vai ajudar. Sem pão e, consequentemente, sem geleia, requeijão, sandubinhas, torradinhas. Ele será substituído, esquecido, renegado, largado e ignorado até mofar e sucumbir. Antes ele do que eu. Tenho um lado xiita, só preciso colocar em prática.
Para que meu plano dê certo, vou imprimir e colar na geladeira essa imagem nada saborosa de um chinelo feito de pão. Ô falta de appetite-appeal! Quem vai querer comer um pão pantufa? Ou um pão chinelão? Posso sentir daqui o chulé. Duvido que alguma margarina desesperada se habilite. Eu, por enquanto, estou fora.

15 de abr de 2011

É um OVNI? É uma bola? É uma tampa de bueiro?

Tudo tem seu tempo. Espinhas deveriam saber disso. Nesse exato momento, carrego uma que foi gentilmente definida pelo Ricardo como "hipnótica". Também sofri bullying dos meus filhos por causa dessa coisa que surgiu do nada e se alojou no meu rosto.

Se na adolescência é difícil lidar com espinhas, aos 43 nem se fala. Você já passou dessa fase. Não combina, destoa, irrita, hipnotiza (obrigada, amor.) Tomara que minha dermatologista não leia o blog, mas tive que dar uma unhadinha mesmo sabendo que só piora. Psicologicamente, ajuda. É um ato em legítima defesa.

Entre três tons de corretivo disponíveis no armário do banheiro, optei pela mistura de todos em uma camada extra que daria pra rebocar o furo de uma parede cor da pele.

Se o Google Maps pudesse localizar espinhas, era só digitar lá em cima "Magali Moraes, região sul da bochecha, Porto Alegre, RS".

E caso você encontre comigo hoje, por favor, desvie os olhos e não faça comentários engraçadinhos tipo "puberdade na terceira idade?"


Foto: A nice idea every day

13 de abr de 2011

Na torcida

Eu levei alguns minutos até me dar conta que era uma notícia boa. Sempre que atendo uma ligação do colégio, o coração já salta pela boca. Ontem foi diferente. O motivo? A qualidade técnica do futebol do Fabio. Essas foram as palavras do professor das escolinhas esportivas ao fazer o convite pro Fabio entrar pra seleção de futsal do Anchieta. E que eu tive que repetir várias vezes em casa, pra serem devidamente saboreadas.
Não errei ao imaginar a cara do Fabinho ao saber desse convite, mas fiz meu papel de mãe e disse que iríamos pensar pra avaliar cansaço X dedicação aos estudos X leva-e-traz X horário do inglês X escolinha de futebol de campo (onde TODOS os amigos estão).
Lógico que o Fabio ficou todo orgulhoso, nós também. O Rafa já está na seleção de basquete do colégio e, pra gurizada, isso dá um certo pedigree.
Só mais tarde eu me dei conta de que esse convite, por mais paradoxal que seja, pode ser uma motivação extra para os estudos. Pra ele atingir o gol, vai ter que atingir as provas. E esporte sempre dá disciplina e foco.
Muita arquibancada me aguarda nessa vida, isso é certo.

Foto: Flickr by Khess239

12 de abr de 2011

Delírios de açúcar

(crônica feita para o site do Bourbon Shopping)


A cronista adverte: chocolate não é o único ingrediente mágico da Páscoa. Existe algo ainda mais doce que nos faz voltar no tempo. E agir feito crianças, por mais que o espelho mostre o contrário.

É por isso que resolvi fazer uma revelação perturbadora nas próximas linhas. Aqui vai... eu já roubei ovinhos das cestas dos meus filhos. Aliás, faço isso todos os anos. E depois dou um corretivo nas espinhas.

Quem nunca assaltou uma cesta de Páscoa não sabe o que está perdendo. A data é gostosa demais para ser privilégio só das crianças. Garanto que o coelho não vai puxar sua orelha se você experimentar um ovo, dois, três, quatro. Mas tem que ser na calada da noite, quando todos já foram dormir, pra ser ainda mais transgressor. E se você voltar para a cama com os dedos sujos de chocolate, parabéns, entrou no espírito!

É importante fazer cara de paisagem se na manhã seguinte seus filhos perceberem uma queda no nível de glicose do armário da cozinha. Como a criançada está cada vez mais esperta, elimine qualquer vestígio de fita ou embalagem. E aguente firme se alguém vasculhar o lixo seco atrás de provas.

A essa altura, o chocolate vai estar dançando bem faceiro na sua corrente sanguínea. E eles sempre ganham muito mais chocolate do que o recomendado pelos órgãos de saúde, nem precisa se sentir culpada.

Culpado mesmo é o cacau, por ser tão saboroso. Você não acha injusto os adultos ficarem só com a logística e o planejamento estratégico da Páscoa? Por que a gente tem que esconder os ovos se procurá-los é bem mais divertido?

Para não cair em tentação após ler essa crônica, você tem boas alternativas. Como rechear o papel celofane com roupas, livrinhos, perfumes e simpáticos coelhos de pelúcia. Seus filhos também vão adorar. Mas eu, chocólatra de carteirinha, recomendo uns bombonzinhos acompanhando o pacote. Como quem não quer nada, só para manter a magia da Páscoa.


Imagem: Behance Net

8 de abr de 2011

A vida chama

Você consegue dormir só mais um pouquinho sabendo que hoje é sexta-feira e não precisa trabalhar? Eu não!

Minha cama parece um pedaço amassado do paraíso, a pilha de revistas e livros na mesinha de cabeceira está tentadora, a casa segue quieta e sonolenta, meus olhos pesam de sono. Mas dormir como, se tem tanta coisa legal que eu posso fazer pra sugar tudo desse dia?

Os guris saíram pro colégio, o Ricardo foi para o trabalho e eu fiquei fritando na cama, tentando decidir o que fazer com essa repentina sensação de liberdade. Nada como escrever pra organizar o pensamento.

Posso ir caminhar 1) na pista do CETE 2) no Parcão, 3) na praça da Encol 4) Na Redenção 5) No Marinha. Posso abrir o shopping e vasculhar as vitrines com toda calma e solidão do mundo. Posso ler a manhã inteira na cama, posso ficar longe do carro e do trânsito, posso tantas coisas! E ainda nem cheguei no turno da tarde onde, até o fechamento desse post, foi combinado iremos ao cinema. O aniversariante do dia e seu inseparável irmão me darão a honra de suas companhias num cineminha com pipoca. Sim, é aniversário do Rafa. Quinze aninhos, acredita? Quer presente melhor do que não ter que trabalhar justo hoje?

Agora preciso ir, já desabafei, não decidi nada ainda, mas definitivamente essa camisola está pesando no corpo.
Foto: DevianART

6 de abr de 2011

Sutiã de bojo pra criança??

Tá na coluna da Monica Bergamo na Folha de São Paulo de hoje: tem sutiã de bojo da Disney tamanho 6 (pra meninas de 6 anos?!) sendo vendido nas melhores casas do ramo. E a colunista ainda informa que casos parecidos deram bafão no exterior: a Abercrombie retirou de sua loja virtual um biquíni com push-up para menininhas!! E a rede Primark doou para ONGs de defesa infantil a renda da venda de um biquíni com bojo pra meninas de sete anos. É só procurar no Google pra ver como isso rendeu críticas em blogs.
Nessas horas eu penso: ainda bem que só tenho filhos homens. Eles amadurecem mais tarde, o que é um alento. Será que as mães de meninas conseguem ser firmes e dizer não numa situação dessas? Ou um bojo necessariamente não tem sex-appeal?
A fashionistazinha Suri, filha-celeb de Tom Cruise e Kate Holmes, usa saltinho e faz a alegria dos papparazzi. Aposto que ela já tem uma coleção inteira da Victoria's Secret no closet.

Imagem: FFFFound

5 de abr de 2011

Be OK




Ando sem vontade de escrever, a cabeça tomada de medos e preocupações. Hoje quando achei essa musiquinha no site da Julia Petit, achei que combinava com o momento.