14 de nov de 2011

Crônica para revista Lola de novembro

Mantenha-se ao alcance das amigas


Escrevo esse texto ainda sob efeito de um almoção com uma amiga. Eu poderia abrir o zíper do jeans para me recuperar do banquete. Só que nem lembro da comida, provavelmente comi pouco porque meu estômago acabou de roncar. O que estou digerindo até agora é a quantidade de coisas que contamos uma para a outra.
Peraí. Por que mesmo a gente ficou tanto tempo sem se ver?
Não faço ideia. Foi um mês ou uma eternidade? Ver no Facebook não conta. Prefiro o sentido literal do verbo, aquela alegria de enxergar a amiga sentada na frente, olho no olho, rímel no rímel, sem nada pra fazer a não ser prestar atenção e não perder o fio da meada. Duas mulheres conectadas feito um celular que sai do modo avião e finalmente encontra o sinal da operadora. Falando, ouvindo, falando, ouvindo. E a comida de coadjuvante na história. Desculpe, saladinha, mas a fome era de amiga. Não podíamos desperdiçar um raro momento como aquele. Pulamos direto para o que interessava: a atualização imediata de tudo o que ficou para trás.
Tem amizades que hibernam sem motivo aparente. Ou vários, como trabalho, stress, viagens, filhos, faculdade, namorado, marido, problemas de saúde, confusões de família. É justamente para administrar o overbooking da vida que a gente precisa das amigas. São elas que nos escutam e nos aconselham a sobreviver com dignidade. Não adianta comprar cremes caros se a testa segue franzida.
Quando duas amigas decidem recuperar o tempo perdido, sai de perto. Se a amizade é das boas, se as verdades podem ser ditas, se existe química entre elas, é só se reencontrar para que tudo volte automaticamente. A afinidade, as confidências, a sensação reconfortante de estar junto dessa pessoa que você escolheu para ser sua amiga. Isso, sim, é alimento.
Então um almoço parece pouco. E injusto. O assunto acumulado daria para esticar em linha reta e ir daqui até a lua. Ou, vá lá, esticar a sobremesa durante a tarde inteira. Uma conversa entre amigas vai abrindo parênteses, formando novos parágrafos, organizando o pensamento e desestressando mais que shiatsu express. Por via das dúvidas, é melhor colocar um alarme na agenda para repetir todos os meses: não posso ficar longe dessa bandida, não posso, não posso.
A gente gasta energia para conquistar tantas coisas. Mais respeito no trabalho, mais milhas e viagens, mais porta-malas no carro, mais it-bags e it-shoes, mais regalias com o gerente do banco, mais convites para festas, mais isso e aquilo. Conquistar até é fácil, quero ver você ser boa no reconquistar. Amigas sentem o distanciamento, pode apostar. Precisam sentir o perfume umas das outras. Garanto que tem alguma amiga sua esquecida na prateleira mais alta e inacessível do closet. Pegue uma escadinha, um trem, um navio, um barco a remo e vá ao seu alcance.
O problema de um almoço tão clarividente e oxigenador como esse é que a gente lembra das outras amigonas que também não vê faz tempo. De novo: ver de enxergar na frente, de esticar a mão e tirar um fio de cabelo que caiu no rosto. E são muitas amigas, para a felicidade dessa que vos tecla. Bate uma saudade coletiva tipo jogo de dominó. Quantas peças importantes eu deixei cair e não juntei?
Agora minhas outras amigas vão ler esse texto na Lola e perguntar quem foi a musa inspiradora. Mulheres quando resolvem ter ciúmes, você sabe como é. Elas podem nunca mais aceitar almoços com oito bolsas na mesa (que são divertidíssimos, além de práticos). Cada uma vai exigir exclusividade, e com razão. Tudo bem, eu corro o risco. Reorganizo minha rotina, altero os relógios. Só assim reconquisto todas elas. O que não falta é restaurante e assunto.

9 comentários:

Fernanda Reali disse...

pena que nao fui eu a tua musa inspiradora, mas tive duas horinhas de um bom papo contigo naquela noitinha de domingo, que foi uma delíciaaaa

obrigada, beijoooo

Eliana disse...

Oi!
Conheci o blog através da Fernanda Reali.
O texto é MARAVILHOSO!!!
Não abro mão de um café toda sexta com amigas.
Beijos!
Eliana

Juliane disse...

Adorei, Magali. Também vim através da Fernanda Reali.
Beijos,
Ju

Jana disse...

Olá, adorei a crônica. Tbm cheguei ao seu blog através da Fê Reali. Um abração!!!

disse...

Nossa Magali,me fez viajar agora...quanto é importante ter amigas?mas amigas de verdade mesmo!Seria importante tipo vital?pra mim sim,muito vital,e acho que com várias mulheres é assim,me enxergei no teu texto,acho que na verdade tu escreveu ele pra mim!hehehehehe,te conheci através da Fê Reali e já estou seguindo,vai virar leitura diária que nem a Fê virou,tbm moro em Poa,provavelmente nos encotraremos em algum restaurante,mas nem vamos perceber,pois estaremos tão embriagadas com os assuntos das nossas amadas amigas!hauahauahaua
Nossa foi um prazer muito grande saber que existem mesmo as maigas de verdade,as que amam as suas acima de tudo,dos defeitos das loucuras!
mUito show mesmo!!

Um beijo bem grande p ti guria

unhadeverniz.blogspot.com

Maria Suzete Retti disse...

Cheguei até aqui através do blog d Fernanda Reali, nossa me vi sentindo saudade de tantas amigas que estão longe e querendo reorganizar minha vida para esses encontros. Amei o texto. Parabéns.

Marcia Niederauer Byrne disse...

Oi Magali! Esse texto sobre amizades coube como uma luva aqui comigo - e' um problema enorme morar tao longe das minhas amigas... Teu blog continua fantastico, parabens e obrigada por escreve-lo! Marcia.

Iara disse...

Magali, tão bom seria se não nos afastássemos nunca das amigas queridas, mas é importante saber que elas estão ali, ao nosso alcance mesmo que a distância seja grande.
Porque uma amiga de verdade é eterna e está com certeza a nossa espera.
Abraços

Josiana Leite disse...

Acho que falar que o texto é muito bom é ser chato por que é óbvio, estou tanto subir na escada tirar a poeira e restaurar o tempo perdido,mas requer determinação estou tentando rever uma grande amiga a meses e sempre algo acontece de ambas as partes, será que mudamos tanto com o tempo, que as amizades são representativas ao nosso tempo? antes gostava de romantismo agora sou rock in roll, será que essas grandes queridas amigas que quero sempre muito bem, estão preparadas para a nova josiana?
Um grande abraço.
www.decorafino.com.br
josiana leite