9 de dez de 2010

Are you ready?

Verão a caminho. Antes que a gente comece a suar e molhe irreversivelmente o cérebro, melhor recapitular algumas regrinhas de convivência:
-Na beira da praia, favor dar uma conferida na arcada dentária logo após saborear uma nutritiva espiga de milho.
-Ainda no segmento alimentício, lugar de camarão e pimentão é no prato. Não na orla marítima. Portanto, esbanje no protetor solar. Ninguém é obrigado a sentir dor só de olhar para corpos flamejantes.
-Já que estamos com areia no chinelo, cabe lembrar que som alto no auto é terminantemente proibido. Dançar pagode no calçadão depois da terceira cerveja, idem.
-Na piscina do condomínio, não repare nos vizinhos que engordaram. Você pode sofrer um atentado e ser encontrado sem vida dentro do tonel de lixo seco.
-Ainda no segmento condominial, chamar a parentada pra se banhar na piscina do prédio é covardia. Não pela água, que o cloro dá um jeito. É que parentes já bastam os nossos.
-Em casa, economize em comida mas nunca em ar condicionado. Os humanos se diferem dos animais por terem a oportunidade de administrar o próprio suor. E conta alta de luz é que nem IPTU, inevitável no verão.
-Falando nisso, evite as rodelas de suor. Apele para a indústria dermocosmética. Desnecessário sair por aí com dois frisbees embaixo dos braços.
-Casa de praia não é Carandiru. Evite a superlotação, procurando o hotel mais próximo. Até porque, com tanta gente dormindo no mesmo quarto, nem visita íntima vai rolar.
-Praticar esportes na beira-mar é saudável e energético, desde que se observe uma distância regulamentar das criaturas que gostariam de contemplar o oceano sem se preocupar com boladas e afins.
-Pior que biquíni (ou sunga) com lycra carcomida é guarda-sol (ou cadeirinha) com mofo de dez verões. Um mínimo de estética, praia não é museu a céu aberto.
-Evite os fungos, os mosquitos e os isopores. Principalmente os isopores.
-Quando você estiver deitadão na rede, lembre daquela rede onde compartilhar é tão lindo e deixe as outras pessoas da casa curtirem também um relax.
Seguindo essas dicas, o verão pode ter alguma dignidade.

Foto: Eduardo Hernandez

6 comentários:

Márcia Gonçalves disse...

Vontade de imprimir este texto para distribuir nas esquinas antes que o verão comece! hahaha
bjss

Cammy disse...

Oi Magali! Sempre leio e gosto muito do no blog mas, sinceramente, esse texto com um que de crônica do Veríssimo não combinou muito contigo... ou eu nunca tinha percebido esse teu lado "nojinho"! Acho que ao invés de uma casa em condomínio fechado no RS, tu deveria ter comprado uma mansão em Mônaco... belo exemplo de sustentabilidade que tu dá com a frase "E conta alta de luz é que nem IPTU, inevitável no verão." Aliás, quem não quer ver gente suada, gorda ou vermelha do sol nem deveria ir à praia.

Magali Moraes disse...

Oi, Cammy!
Olha, eu nunca comento os comentários mas vou abrir uma exceção. Isso para que tu não fique com uma impressão equivocada. Nem minha, nem do Verissimo. Não sou nojinho, esnobe ou algo assim. Como tu já deve ter percebido aqui blog, eu tenho bom humor. Só isso. E consigo enxergar graça no meu suor, na minha barriga, no financiamento de um apê que está longe de ser uma mansão em Mônaco. Relaxa, guria. Sustentabilidade também significa não desperdiçar a própria energia.

Maria Guilhermina disse...

Nunca comentei aqui, mas resolvi fazê-lo só para elogiar o teu bom humor. Essas situações acontecem com todo mundo, em todos os lugares, acho até que são inevitáveis, infelizmente, porque um pouco de desconfiômetro das pessoas já seria bom né? O que pode existir de mais irritante do que estar sentada na beira da praia e ver chegar um casal que resolve jogar frescobol bem na tua frente? Depois das 25 vezes que eles pedem desculpas, pelas boladas que a gente leva, dá vontade de afogar umas pessoas tão sem noção e educação.

Fernanda Reali disse...

Adorei o post e adoro o verão. Fico mais suada, mais desarrumada, mais despenteada, mas também muito mais feliz. é a estação do ano onde sinto mais juventude e felicidade.

Como digo no meu blog: "a gente escolhe ser feliz", mas no verão essa escolha é mais fácil.

beijooo

Cinderela Descaída disse...

Magali:
Este teu post me passou batido, não sei como, mas adorei e concordo contigo em gênero, número e grau!
Eu, particularmente, só gosto de verão na beira da praia ou no ar-condicionado, porque o verão no Sul é infernalmente quente e úmido. Duvido quem consiga passar sem um ventilador que seja!
bjs