11 de set de 2009

9/11

Hoje não quero rever aquelas imagens horríveis das Torres Gêmeas explodindo. Quando estive em Nova Iorque depois do atentado, fiz questão de não visitar o Ground Zero. Preferi guardar como recordação a tarde incrível que passei no World Trade Center um ano antes da tragédia. Era como se tivesse um mapa gigante aberto embaixo da gente. Eu grudava o rosto no vidro e meu irmão, que vive em NY, apontava: “pra lá é New Jersey... pra cá é o Queens...”. Era tão bonito. Lembro direitinho de como eu me senti feliz lá em cima.
Agora li no New York Times sobre uma mãe contando a dificuldade de explicar para seu filho pequeno (e muçulmano) o que aconteceu no 11 de setembro. Criança sempre faz perguntas difíceis. Oito anos depois, prefiro acreditar que o mundo está se esforçando para melhorar. Nem que seja só um pouquinho.

Nenhum comentário: