7 de jan de 2011

O Primeiro

(publicado no site do Bourbon Shopping)


Já reparou como a gente cultua o que vem primeiro? O Primeiro beijo, O Primeiro da fila, O Primeiro lugar no concurso, O Primeiro carro, O Primeiro amor, O Primeiro apartamento, O Primeiro emprego, O Primeiro filho, O Primeiro neto. Todos esses primeiros costumam ocupar espaço nobre na nossa memória (incluindo aí O Primeiro fora, O Primeiro porre e O Primeiro fio de cabelo branco). O dilema clássico do “Quem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha?” na verdade é só uma disputa pelo primeiro lugar. Nada menos filosófico do que isso.
Se O Primeiro sempre ganha os holofotes e ganhou até maiúsculas nessa crônica, por que janeiro não tem a mesma sorte? O Primeiro mês do ano merece um tratamento mais digno, mas acaba sendo encarado como uma ressaca de dezembro. Sinceramente, acho que dezembro não é tão legal assim. Ele teve a sorte de estar na hora certa e no lugar certo – ou seja, no final do ano, onde todos se emocionam fácil.
Janeiro pode muito bem ser sua extensão, roubar um pouco desse carisma, pegar carona nas idealizações, sonhos e promessas. Quer ver um bom exemplo? No mês passado (você sabe qual é), bati o recorde de happy hours. Tive uma urgência de rever todos os amigos, atropelei beijos e abraços. Eu poderia ter deixado alguns desses excelentes momentos para janeiro. Ainda dá tempo de fazer isso. E com ar-condicionado tão geladinho quanto o espumante.
Janeiro é pontapé inicial, primeiro vagão do trem, ponto de partida, fio condutor, pedra fundamental. A menos que você tire férias nesses 30 dias e automaticamente promova janeiro ao melhor mês da vida, vai precisar mudar sua atitude em relação a ele. A Dilma nunca mais vai esquecer esse janeiro. Os primeiros bebês do ano ganharam destaque no jornal, tomara que ganhem atenção para sempre. Minha sugestão? Se cada um de nós fizer uma coisinha incrível durante esse mês, seu conceito vai subir. E se nada disso acontecer, pelo menos janeiro já ganhou uma crônica em sua homenagem. Beijão para você, querido!

7 comentários:

sanbahia disse...

Magali, achei você no twitter. Li sua crônica e achei maravilhosa. A primeira vez de muitas coisas na vida são inesquecíveis.
Um abraço grande e parabéns pelo blpgue.
Ps,Quero receber seus posts, vou lhe seguir para não lhe perder na web.

Fernanda Reali disse...

Eu não gosto tanto dde janeiro, acho cansatico e chato. Prefiro fevereiro. Beijooo

Mulher de Fases disse...

Magali,
Que bom que vc enalteceu janeiro, um mês tão pouco brindado...aqui no Rio, apesar de ser o mês do nosso padroeiro (São Sebastião- 20 de janeiro)é mês que passa 'batido', ninguém presta atenção, já entra nele pensando no Carnaval...
Faço aniversário no finzinho desse mês e sei como é comemorar com as pessoas voltadas para preocupações futuras.
Ninguém curte janeiro!Topo fazer uma mobilização para dar mais dignidade a este mês, de sol brilhante, praias lotadas, carinha de férias com a cor do Brasil.
P.S:Pedi seu livro de Natal, fui atendida e gostei muito...
Parabéns!!!
Bjão

Sanbahia disse...

Magali, bom receber você em meu blog. Olhe, aproveite bem a viagem á minha terrinha.
Um cheiro carinhoso. e que neste 2011 nos encontemos mais vezes na web.
A Bahia lhe aguarda de braços abertos.
Axé!

Carla Link Federizzi disse...

Amei Magali!
Viva o Janeiro... heheh
bjos

ila fox disse...

Eu gosto de Janeiro, me soa como aquele caderno de escola, novinho em folha, pronto para ser usado com a letra mais caprichada possível!

Eliane disse...

Oiiiii.... primeiramente, desejo um 2011 de muitas bênçãos pra vc e sua família... mta paz, saúde e realizações...
....................
Janeiro pra mim é um mês de pagar contas... hehe: IPVA, IPTU, escola, blá blá blá...
Mas tb é um mês das promessas, dos desejos: preciso perder uns quilos, economizar mais, dedicar mais tempo à família, me estressar menos, blá blá blá...
Mas meu mês preferido é setembro (meu aniversário...) kkkkkkk
bjbjbjbjbjbjbj
http://larfamiliaecia.blogspot.com/