21 de jan de 2011

Um leque de possibilidades

Acho que os cromossomos X e Y não nasceram para serem amigos. Não no sentido fraterno, aquela amizade onde nenhum (eu disse NENHUM) interesse hormonal está envolvido. Eu já desconfiava disso, tinha quase certeza. Mas sou apenas uma observadora de sentimentos, o único fundamento técnico que possuo é minha sensibilidade.
Quando vi esse gráfico (não deixa de ser) no Facebook, foi como encontrar um livro de 800 páginas sobre o tema. Olha a sutileza das possibilidades! Something But Nothing é angustiante, porém melhor do que nada. Fuck Buddy é um comportamento pós-moderno-objetivo-sincero-descolado que ainda vai sustentar muito roteirista de Hollywood e anistiar consciências pesadas. Preste atenção: Fuck Buddy é diferente de Bestfriends with Benefits - provavelmente na intensidade e/ou frequência. Inclusive em breve veremos no cinema mais próximo a Natalie Portman e o Ashton So Hot Kuchter passando por esse dilema na comédia romântica No Strings Attached, que anteriormente iria se chamar como? Friends with benefits.
Esse info-cyber-gráfico deve ter sido feito por uma mulher. Talking e Kinda Talking é genial! Também adoro a sinceridade de No GF/BF Since Birth e a resignação de Forever Alone. Mas meu preferido é It's complicated. Resume tanta amizade por aí. Que o digam Meryl Streep, Steve Martin e Alec Baldwin, que recentemente passaram por isso.

Imagem: um achado da Lise Bing

Nenhum comentário: