12 de nov de 2009

Clichê 100% algodão

Sim, nós nunca temos roupa. Não o suficiente para vestir as nossas dúvidas. Hoje o jeans serve, amanhã está apertado. Ontem aquela blusinha ficou tão bem, agora a estampa parece exagerada – por que comprei isso?, pergunto para o espelho. Ele prefere se manter longe dessa discussão.
O salto combinou com a terça, mas hoje é quinta e ele ficou alto demais. Eu poderia escolher a sapatilha, mas aí teria que trocar o vestido. E faz tanto tempo que não saímos juntos! A bolsa, que antes era utilitária, entrou no troca-troca. Até os curingas não funcionam sempre. Depende do humor, da estação, da entrada de saturno no meu signo.
Sabe o que eu queria? Ser escolhida pelas roupas. Cansa decidir tudo sozinha. Eu iria sentar na beira da cama e esperar que elas viessem até a mim. A chance daquela saia que não uso há meses pular na minha cintura e ir pra rua. Um colar podia gritar lá da última gaveta “Magali, hoje você é minha!” As listras teriam iniciativa pra me prender num look básico? E os decotes, mostrariam tudo para mim? O preto, elegante que só vendo, bateria boca com os coloridos?
Mas não. Sou eu que sofro o apagão todas as manhãs, na hora de escolher a roupa.
art by adam dedman

3 comentários:

Lu disse...

A sentadinha na beira da cama de manhã cedo é clássica, bem como o guarda-roupa todo colocado à baixo pra que, depois de experimentar 900combinações, a gente acabe vestindo o mesmo pretinho básico de sempre.
Essa é a nossa sina, não adianta!
Beijos, beijos

Fernanda Reali disse...

Verdade verdadeira em dia de compromisso. Em dias normais, regata, bermuda e rasteirinha pra enfrentar os 36 graus, pacotes e rua movimentada.

Bjs

Anônimo disse...

já viu o "hoje eu vou assim"?
se ainda não, vais gostar.
http://hojevouassim.blogspot.com/

bjo
raul