21 de set de 2010

Asilo ortográfico

Assim como roupas e sapatos, algumas palavras também deixam de servir. Ficam gastas com o tempo, apertam na garganta e não saem mais. Se fossem escritas em papel de carta perfumado, talvez tivessem mais alguns meses de vida.
Indagar é um bom exemplo. Esse verbo vovô ainda é usado por saudosistas. Quantos enamorados devem ter indagado se o amor era correspondido? Quantas indagações devem ter sido feitas entre pais e filhos no passado? Hoje em dia se pergunta, se questiona, se deixa sem resposta mesmo.
Acredita que vi uma pessoa jovem usar o verbo Almejar esses dias no Facebook? Aquilo destoou. Seria um movimento retrô para resgatar consoantes e vogais enferrujadas? Aposto que o próprio Almejar preferia ter sido feito por uma caneta-tinteiro, não por um teclado impessoal. Daqui a pouco mandam um SMS com ALMJ e acabam com ele.
Dedico esse post às palavras que envelheceram dignamente, aquelas que não se sentem mais confortáveis no século XXI e não esperavam viver tanto. Para elas, imagino um simpático asilo ortográfico, sempre com as frases abertas para recebê-las. Onde o Ponto e Vírgula joga baralho com a Trema e ninguém arma uma Urucubaca. Aliás, nesse lugar estariam também gírias ultrapassadas como Urucubaca e Balacobaco. Todavia estaria sentado na cabeceira da mesa, ao lado do Vêzes, esperando o jantar.
Não ria porque um dia (não demora muito), Postar, Deletar e Teclar também ficarão com teia de aranha. Sorte tem os números de não aparentar sua idade.

4 comentários:

Regina Laura disse...

Adorei a idéia do asilo ortográfico!
Se bem que tenho a impressão que algumas estão indo cedo demais para lá.
Ou eu é que estou envelhecendo também...rs
Beijão

Bia disse...

Ai Magali!

Já é duro aprender o português e quando a gente acha que aprendeu tem que aposentar umas coisas? kkkkkkkkkk

Bjs

Rossy disse...

Engraçado que as palavras que citaste (por aqui por Fortaleza) não saíram de moda.
Acho que o charme dela(Fortaleza) de ainda ser meio marginal(underground) comparando com as grandes cidades faz com que ela mantenha ainda sua gramática, de certo, inatingível.

Eliene Vila Nova disse...

Por isso que amo você,meemociono sempre que leio algo que escreves,pois é sempre tão reflexivo.
Ah em relação aos números,saiba que eles não envelhecem,mas nos fazem sentir o passar do tempo,rsrs
Te adoro
Beijos