16 de out de 2010

Disfarce

Gosto de ficar escondida, quieta no meu canto, reorganizando os pensamentos, vagando de pijama pela casa, me enrolando pra tomar banho, deixando a manhã passar. E isso é tão raro. Só assim eu presto atenção na asinha de cupim que apareceu no chão da sala (ué?). No galho da plantinha que entortou. No prendedor de roupa que quebrou no canto. No lugar gostoso que é a minha casa.
Depois de uma semana cheia de responsabilidades, considero um privilégio tirar um turno para a livre observação. Já ajudei o Fabio com os temas, já dei uma geral na casa e até sobrou tempo para o blog. Acordar cedo aos sábados é ruim mas é muito bom. O dia cresce. A gente toma posse das horas e decide o que fazer com elas. Almoçar às 3 da tarde é um ato de rebeldia pra quem precisa comer sempre de olho no relógio de segunda a sexta.
Então, se algum compromisso perguntar por mim, diz que você nem me viu, que não sabe onde estou ou a que horas volto.
Foto: FFFound

Um comentário:

Fernanda Reali disse...

Isso vai além de fazer cara de paisagem. É fazer CORPO de paisagem, ahahaha