19 de out de 2010

E esse blog agora só fala do livro???

Achei outro assunto que não seja o livro pra não incomodar você. Estou levemente obsessiva, emocionada, ansiosa, desfocada. Mas ainda tenho noção. Então lá vai...


De uma vez por todas, não quero ter intimidade com máquinas. É apenas uma relação comercial, não tentem puxar conversa e se fingir de humanos. Ontem um terminal de caixa 24h usou a primeira pessoa do singular comigo. Eu só queria sacar dinheiro e tive que ler na tela "Vou providenciar", "Estou imprimindo". Só um pouquinho digo eu.
Já reparou que agora é moda gravação de SAC e de telemarketing usar um tom coloquial com a gente? Quando eu sou obrigada a ligar para a Sky, tenho que aguentar o discurso amigo íntimo. Escolho a opção SEM SINAL, por exemplo, e escuto: "Ah, sei. Entendo." "Já tentou tirar o fio da tomada e colocar de novo?" "Vejo que você está com problema no sinal".
Vejo como, cara-pálida? Vejo fios, cabos e conexões.
E agora os terminais de banco resolveram cair nessa conversinha mole. Um desrespeito com a gente e com a primeira pessoa do singular. Se pelo menos o terminal tivesse perguntado pelo livro, puxa, aí sim eu baixava a guarda e contava tudo.

2 comentários:

Lola disse...

hahahahaha Mas até que é interessante né amiga? Afinal, a era das máquinas chegou para ficar, então, melhor nos acostumarmos! rs
Bjs

Márcia Gonçalves disse...

Se o terminal perguntasse pelo livro... ai sim era hora de começar a ficar preocupada... hahaha
bjss