20 de out de 2010

Minúscula

Eu me senti pequena no aeroporto. Passou por mim um homem de 30 e poucos anos, bem-vestido, a célebre maleta de executivo. Mais duas bengalas, duas pernas que não firmavam sozinhas, duas mãos com dedos disformes. E um olhar sereno, cheio de autonomia. Ele sentou, abriu o notebook no colo (os pés muito longe do chão), pronto pra tocar a vida.
Imediatamente duas cenas vieram na minha cabeça: eu reclamando que preciso de escada pra alcançar uma prateleira mais alta. Eu irritada por ter que me espremer toda pra passar entre dois carros grudados e abrir a porta do meu. E o amigo ali, nonstop.
Adivinha quem se sentiu a limitada. Imóvel e minúscula, apesar de mais alta que ele. Um choque de realidade sempre é útil. Minhas pernas me sustentam. Imperfeitas e tão perfeitas ao mesmo tempo.
Foto: VonMurr on Flickr

4 comentários:

Gislaine Fernandes disse...

Pois é reclamamos tanto da vida que quando nos deparamos com uma situação dessas nos sentimos minúsculas realmente!
beijos

Regina Laura disse...

E a gente ainda reclama...
Adorei o post. E a foto..rs
Beijão

Mulher de Fases disse...

Magali,
Sei que vc anda a mil,mas escolhi 5blogs que gosto mais para propor um desafioque me foi repassado. As perguntas estão no meu blog e ao final vc deve acrescentar mais uma pergunta sua.
Bjs

Iara disse...

Excelente post,às vezes é bom refletirmos um pouco, temos tanto e sempre cremos não ter nada.
Um abraço
Iara