8 de nov de 2010

A psicopata dos cabides

Ou pode me chamar de sequestradora de cabides, que também condiz com a situação atual. Tudo começou com uma organização, que virou um hábito, que se tranformou em mania. Juro que não percebi essa última mudança de fase. Talvez tenha sido depois do cabide 5.874. E mesmo que tivesse percebido, seria tarde demais.
Hoje não posso ver um cabide vazio que preciso levá-lo o quanto antes para a área de serviço. Vasculho guarda-roupas atrás de cabides desocupados, não permito que eles fiquem matando tempo e conversando com as blusas e casacos pendurados. É algo mais viciante do que roer unhas.
Se o Nelson Mandela lê esse post, vai dizer que criei um Apartheid. Ele não deixa de estar certo, porém quero deixar claro que eu não discrimino a cor dos cabides. Brancos, pretos, amarelos ou transparentes, tanto faz. Se estiverem livres, não podem permanecer no mesmo recinto dos ocupados.
Ainda bem que eu não arrumo as roupas por cor dentro do armário, isso sim é caso sem tratamento. Se bem que, lá nos primórdios da civilização, eu escolhia a cor do prendedor conforme a cor da roupa lavada - e o azul molhado nem sempre combina com o azul seco. Foi no tempo de recém-casada, onde a gente brinca de casinha deslumbrada como se tivesse 5 anos. Pelo menos, desse mal eu me curei.

7 comentários:

Cris Francioni disse...

Fica tranquila, sou mais doente do que tu quando o assunto é cabide:
1. NUNCA um cabide pode ter mais que UMA peça pendurada. Uma roupa em cima da outra, NEM PENSAR!
2. TODOS tem que ser IGUAIZINHOS, da mesma cor e modelo.
3. Da esquerda pra direita vai esquentando a temperatura, das roupas mas quentes pra mais fresquinhas.
4. SEMPRE eles devem estar virados ora mim como um ponto de interrogação (última mania que adquiri com esse pessoal de Visual Merchandising).

Pior que isso, só organizar as caixas de leite colocando em ordem os códigos de barra, todos olhando pra mim. hahaha
Não tenho conserto!

Bjs

Leticia disse...

hahaha! Amiga, sou igual
Quando me mudei, não vencia comprar cabides novos... ia todos os dias e saia com carrinhos cheios de cabides. E o marido queria que eu trocasse todos os deles, mas não me ajudou, portanto, ficaram os dele de uma cor e os meus de outra...
Ainda quero comprar mais uns 30, para deixar de reserva para as futuras roupas! rsss. Hoje de manhã, separei os últimos desocupados!
Beijos
lelê

PS> sexta feira tem um post sobre closet lá no blog... sobre a minha mania de separar por cores! kkkk!

Lu disse...

Maga, eu compartilho da mesma mania de não poder deixar cabides vazios no roupeiro. A diferença é que não os levo pra área de serviço, tenho um cantinho no armário especial pra eles.
Manias....

Beijos
LuRodrigues

Adriana disse...

Oi Magali, muito engraçado seu post, mas é assim mesmo amiga, temos manias meio doidinhas às vezes, eu costumo colocar todos sempre na mesma posição e sempre iguais (cores iguais), mas nada que me deixe tão desesperada, mas confesso para vc, estou doidnha para tentar ser a rainha da organização rs.
Beijinhos

VaneZa disse...

Nem me fale nessas manias doentias...eu não posso ler essas coisas porque eu assimilo e depois estou fazendo o mesmo. Rs
BeijoZZz

Ronda disse...

Oi Magali,
Eu tenho 2 tipos de cabides, um para pendurar a roupa enquanto seca (de plástico) e outro para colocar a roupa no guarda-roupa (de metal).

E por que não é tudo de plástico? Ah, sei lá...
Abraços!!

Fernanda Reali disse...

Chuchuzinho, bom dia!!! Vim aqui buscar o link da noite de autógrafos e não achei NADA. Como assim, Bial?

Postei hoje sobre a vencedora do sorteio, uma querida do Recife, pesquisadora, bióloga, não está demitida, que bom!