1 de jun de 2011

Quero bis

Amanhã o programa em família vai ser outro: o show do Jack Johnson no Gigantinho. Isso não é pouca coisa numa quinta-feira à noite, quando a vida recomeça no outro dia às 6 da manhã - independente do horário em que a trupe for pra cama.

Algumas combinações já estão estabelecidas, como mochilas arrumadas pro colégio e temas feitos porque o Anchieta nem quer saber do Jack Johnson. Provavelmente terei que chamar um guincho pra remover o Fabio das cobertas, o que sempre toma tempo e paciência.

Gosto do Jack Johnson, mas tenho certeza de que a experiência toda vai ser muito mais divertida. Eu me arrependo de não termos ido no show do Paul McCartney ano passado. Não pelo Paul, mas pela lembrança em família. Deixamos passar uma bela oportunidade, tem amigo do Rafa que emoldurou o bilhete.

Em quantos shows eu e o Ricardo ainda poderemos ir junto sem ser mico? Daqui a pouco meus filhos perderão a conta das arquibancadas, cadeiras numeradas e pistas que frequentaram pra curtir suas bandas preferidas. Com os amigos, claro, muitos deles. Tenho medo de ser apenas um número de celular pra ligar quando der problema.

É por isso que eu não sinto saudade nenhuma do tempo em que eles eram pequeninhos. Não com todas as fases que nos aguardam. Curti tudo que eu podia da infância deles, falo com convicção e serenidade. O que já sinto falta é de simplesmente estar nos mesmos lugares, enfiar a dupla dentro do carro e comunicar o destino.

Vou ter que roubar no jogo. Acenar com viagens incríveis, ingressos caros e programas memoráveis (da mesma forma que já estou planejando ser uma sogra interessante e irresistível pra puxar a concorrência pro meu lado). O Rafa falou que quer conhecer a Europa ano que vem. Quem sou eu pra recusar um convite desses?

Nenhum comentário: