28 de ago de 2008

Figuração... Ação! parte 2

Por que eu sempre caio nas pegadinhas da agência de modelos? Quando cheguei no set e procurei o assistente de direção para saber como compor meu personagem dentro de um espectro fashion, ele nem deixou eu terminar a frase.
-Faz uma trança e espera.
-Eu mesma? Não tem cabeleireira?
-Faz de qualquer jeito e senta aqui.
Ingenuamente, organizei as informações: 1) figuração num comercial de moda 2) trança free style 3) acting despojado. E assim deduzi que, nesse comercial, a figuração ajudaria a mostrar a tendência da customização, onde personalizar as roupas reflete até no couro cabeludo.
-E o make?
-Se quiser, passa batom. Só não vai ficar com o dente sujo.
E assim eu fiquei sentada num lugar que lembrava sala de aula, o chão com papéis amassados, brigando com os fiapos que insistiam em sair da trança. Não tinha espelhinho de bolsa mas esfreguei a língua ao máximo nos caninos. Fiquei com uma aparência jovem demais, tudo parecia tão pobre ao meu redor. Eu, inclusive.
Só quando o pessoal da produção trouxe um quadro-negro lascado na ponta e a atriz principal surgiu vestida de professorinha de rede estadual, as coisas começaram a fazer sentido. Estojos e cadernos foram jogados aqui e ali. E os atores que interpretavam os alunos traziam bananas em vez de maçãs.
Não teve pré-light. Não teve pó facial para tirar o brilho. Nem cafezinho sem açúcar. Eu fazia parte de um comercial de governo de baixíssimo orçamento incentivando a educação sexual no currículo escolar.
Enfiaram uma banana caturra na minha mão e houve farta distribuição de camisinhas. Não acreditei quando o fundão da figuração começou a encher as camisinhas como se fossem balões e o diretor gostou da idéia. Não tinha nada melhor no roteiro?
Ao ouvir “Figuração... Ação!”, nunca me senti tão constrangida. Meu rosto e meus braços iam aparecer em cena ensacando a caturra, seguindo o didático exemplo da professora. Cheguei em casa e tomei um longo banho. Apesar da fome, não jantei. Eu precisava esquecer meus colegas de cena devorando as bananas com camisinha e tudo após 12 horas de filmagem a seco. Depois dizem que vida de figuração é fácil.

(continua)

Um comentário:

Luísa Conspira disse...

Oi, Maga,

Estou acompanhando a figurante louca que você inventou. Ótima!!!! Tem sido garantia de diversão. O blog está muito bacana.

Beijos,

Luísa