23 de ago de 2008

Tudo ou nada

Fazer Nada pode ser a solução para todos os seus problemas. Se você pegou esse folheto e está lendo letrinhas tão miúdas é sinal de que precisa Fazer Nada mas não sabe como. Calma, a culpa não é sua. O mundo de hoje conspira contra aqueles que ousam desacelerar. Você faz parte de uma geração que nasceu para produzir e tenta exaustivamente esticar as 24h de um dia. Fazer Nada – isso sim – é fazer tudo.
Nossa empresa estudou a fundo a necessidade humana de se desligar da realidade e desperdiçar horas preciosas para só assim resgatar o equilíbrio interior. Chega de ser escravo da agenda e sempre achar tempo para novos compromissos. Fazer Nada exige coragem e quebra de paradigmas.
Quem disse que o sábado foi feito para resolver as pendengas da semana inteira? Nossas pesquisas relatam casos de famílias flagradas no sábado de manhã com listinha – em ordem alfabética – de coisas a fazer. Nada disso! Quem estipulou que domingo é dia de visitar a família e ocupar longas horas com fofocas? E a indústria do entretenimento? Já é tempo da sociedade saber que os jornais oferecem tantas programações de cinema, shows e teatro porque eles precisam encher aquelas páginas de algum jeito.
Fazer Nada exige força de vontade, disciplina e técnica. Use as nossas 15 regras de ouro e prove para você mesmo que é possível Fazer Nada.
1. Escolha um dia da semana onde você se vê forçado a otimizar cada minuto do seu tempo.
2. Se iniciar alguma tarefa, pare logo a seguir. O simples ato de arrumar uma gaveta torna o dia produtivo e descaracteriza o Fazer Nada.
3. Atenda o telefone, mas em hipótese alguma ligue para amigos e parentes. Colocar a conversa em dia, especialmente com quem você não fala há tempo, pressupõe um bom aproveitamento das horas.
4. Se você for assistir TV, faça do controle remoto seu grande aliado. Não fique mais do que um minuto sem mudar de canal. A não ser que você queira acompanhar uma novela ou uma entrevista botar tudo a perder.
5. Dormir em hora imprópria pode ser uma excelente maneira de Fazer Nada – desde que você não durma tanto a ponto de o sono ser considerado uma atividade.
6. (Fazer Nada é deixar de escrever uma das regras, por exemplo.)
7. Não se deixe levar pelo sol lá fora. Os parques e praças estão cheios de pessoas que gostariam de ficar em casa exatamente como você – fazendo nada – mas não conseguem porque se sentem na obrigação de aproveitar o dia.
8. Outra faceta traiçoeira da previsão do tempo é o clima chuvoso. Nuvens carregadas muitas vezes criam o clima propício para ler um bom livro e ver um bom DVD. Bom para os donos das livrarias e das locadoras, que não ganhariam nada com o desligamento do seu cérebro.
9. Ignore a pilha de papéis que vive há meses em cima da mesa. Se você não organizou até agora, não deve ser tão importante assim.
10. Fazer Nada provoca momentos de apatia e tédio, seguidos de grande ansiedade. É apenas seu corpo, acostumado a não parar nunca, tentando reagir. Por via das dúvidas, fuja de relógios, portas e chaves de carro.
11. Não use bicicletas e verbos. Tudo que indique movimento está fora de cogitação. O Fazer Nada requer que você não faça nada demais, apenas deixe o tempo passar.
12. Se você tem filhos, todo cuidado é pouco. Crianças são sugadoras por natureza e vão querer cada segundo da sua atenção. Se você chegou até aqui e está mesmo disposto a Fazer Nada, seja firme. Diga “Não, papai não quer brincar. Nem agora nem depois.” Trauma por trauma, sempre é preferível dizer a verdade.
13. Se você optou por Fazer Nada no fim de semana, esteja preparado para a fatídica segunda-feira. Seus colegas de trabalho vão chegar contando que fizeram mil coisas. Não satisfeitos, contarão os detalhes do rafting, do futebol, da festa, da saga para encontrar o restaurante atendido freiras albinas. Olhe para um ponto fixo e sorria. Você conseguiu Fazer Nada, meu amigo! Isso é o que importa.
14. Fazer Nada é um convite pessoal e intransferível. Muitos furões vão tentar entrar na sua, o que pode transformar um momento de paz em um súbito joguinho de canastra. Cabe lembrar que jogos são caracterizados como atividade e, como tal, devem ser evitados.
15. Fazer Nada é ter a certeza de que dias melhores virão. Dias sem horários marcados, sem listas, sem filas, sem desculpas furadas para ficar em casa e exercer o seu sagrado direito de Fazer Nada.
Essas 15 regras de ouro foram elaboradas a partir de premissas reais e análises definitivas – tanto que no meio do caminho os profissionais envolvidos decidiram largar tudo e Fazer Nada também.
Nossa empresa acredita que é possível construir um mundo livre de amarras, compromissos e obrigações. Cabe a você fazer tudo que os outros fazem ou Fazer Nada. Para maiores informações sobre o nosso método, se vire porque a gente já fez muito distribuindo esse folheto por aí.

Um comentário:

Clarissa Corrêa disse...

É o famoso tem-que-ser, não-tem-que-ser. Regras e regras e mais uma dose de regras, sem gelo, sem limão, sem 4 gotinhas de zero cal. De vez em quando a gente tem que aprender a chutar o balde. E a usar açúcar.