9 de out de 2009

As variáveis imponderáveis

E lá vou eu, mais uma vez, abrir novos caminhos. Quem sabe eu largue definitivamente a publicidade e entre no ramo da construção civil, focando no nicho de estradas e rodagens. Posso até acrescentar o filão das ciclovias.
Quando escrevi online O Diário De Uma Demitida (nos arquivos do blog, de novembro/08 a janeiro/09), nunca pensei que fosse ter uma continuidade, tipo o volume 2 com capa dura. Fora de cogitação, apesar de eu ter levado o pé nas nádegas de novo. Não tenho a menor vontade de escrever aqueles textos lacrimosos da outra vez.
Só posso concluir que vem coisa melhor pela frente. Hoje em dia, o desapego é fundamental. Está aí a prova. O raio caiu duas vezes no mesmo lugar? Ou... achei dinheiro no bolso da calça pela segunda vez!! Se observarmos por um ângulo otimista, estou tendo a segunda oportunidade de puxar o freio de mão. E, convenhamos, não é fácil parar por conta própria para organizar os pensamentos e rever prioridades.
Semana passada, minha amiga Lúcia indicou uma matéria ótima sobre a ditadura da felicidade na revista Bons Fluídos de outubro. Já li e agora vou reler com outros olhos, pois o texto fala justamente em saber aceitar os altos e baixos da vida. A gente tem uma noção equivocada da felicidade, com mais cor-de-rosa do que uma pessoa é capaz de suportar. Faz parte do ser feliz acolher os momentos difíceis e aprender com eles. No mínimo, no mínimo, eu vou encontrar novos amigos. E isso vale mais do que qualquer tíquete alimentação.

Foto: manipulação de Erik Johansson.

8 comentários:

Anônimo disse...

Demitida de novo? Sempre achei que eras uma artista, não uma publicitária. Portanto, mãos à obra.

Fernanda Reali disse...

Será que é somente um sintoma da crise esta demissão, ou um desígnio maior (sim, eu acredito nisso, vejo a Oprah diariamente e leio Louise Hay)?


Será que é um chamado do universo para tu te jogares na literatura e publicar a qualquer custo teu livro?

Ou qual outra janela está se abrindo quando esta porta se fecha?

Alexandra disse...

Pensei, pensei e não sei muito o que falar. Fiquei triste por ti, por mim e por todos (pois nosso mercado tá ficando vergonhoso). Tenho certeza que tu é muuuuuito boa e que algo muuuuuito bom cedo ou tarde vai acontecer!
bjos

Lua disse...

Magali
a ditadura da felicidade é mesmo dureza de aguentar! Pra complementar tua leitura te indico um texto que li esses dias e me pareceu um belo retrato da atual "realidade": http://blog.umaauma.com.br/2009/08/24/vidas-editadas/

E sobre o trabalho, certamente que novas portas se abrirão... ;)

Blog da Fatima disse...

Magali..
com certeza, várias portas se abrirão para ti!!
tenha fé, Deus reserva sempre o melhor para seus filhos.

E como tu diz..conhecer pessoas novas e fazer novos amigos é o que há!!!!

Força, fè e coragem!!!

bjos no ♥

crisfrancioni disse...

Maga magavilhosa, tá na hora de editar o Diário de uma Atrevida! Isso mesmo, um livro bem a tua cara e a cara de muita gente que ama te ler. Yes, you can!!!!
Beijão, amiga e forçca na peruca cacheada!

Lucia disse...

Magali, que texto maravilhoso. Fiquei super feliz com o astral que senti nele. Tu é maravilhosa mesmo e tudo de bom vai te acontecer sempre.
beijinhos.

Gis disse...

Maga, estava mergulhada no meu próprio universo nos últimos tempos e não tinha mais passado por aqui, portanto só hoje fiquei sabendo da demissão. Que coisa! Nessas horas que eu agradeço ter me afastado de tudo aí pra dar esse tempo. Bem, torço pelo melhor e dou a dica: às vezes a gente espera que uma porta se abra, mas o brilho do sol está vindo é da janela. ;-) Beijinhos e qq coisa estou aqui!