15 de out de 2009

Desaprender

Aproveito que hoje é Dia do Professor pra lembrar que a gente também precisa desaprender. E isso pode ser difícil. Não dizem que o bacana é aprender tudo o tempo todo?
Dá para desaprender, sim senhor. Tem tantas coisas que não têm utilidade e que nós parecemos um papagaio repetindo. As manias, as conclusões equivocadas, as desconfianças e inseguranças que só atrapalham a vida. Ninguém disse para você decorar esse tipo de bobagem, vai ver ficou guardado junto com a fórmula de Báskara e os adjuntos adverbiais. Pior, ocupando um espaço precioso para novos registros.
Desaprender modelos de comportamento é algo dificílimo. Quem tem filhos, então, é um perigo. É mais fácil ensinar o jeitão consagrado de ser feliz (aquele que você aprendeu com seus pais, e eles aprenderam com seus avós) do que deixar os filhos descobrirem sozinhos.
Eu sempre tirei notas altas em matemática, estudava feito louca, tinha que ser a melhor. Até que um dia (logicamente depois de acabar o colégio), eu decidi não precisar mais daquilo. Apaguei da cabeça tudo que dizia respeito a cálculos e números. TUDO. Infelizmente, a tabuada foi junto. Mas nada que uma calculadora de celular não resolva. Com matemática, eu consegui. E o resto?
Quando a gente é adulto, já está automatizado que aprender é fundamental. Ninguém questiona isso. Só que faz parte da evolução do ser humano se reconfigurar de tempos em tempos. Desaprender para então aprender um novo jeito de se relacionar, de trabalhar, de constituir família, de ser emocionalmente sustentável.
Eu, como publicitária, sempre me vangloriei de ler até bula de remédio, de viver sedenta de informação. Num auditório lotado de estudantes essa frase pega superbem, mas no dia a dia cansa. Quero ser mais seletiva e não acumular o lixão disfarçado de conteúdo que anda por aí.
Desaprender é bem diferente de emburrecer. É ter inteligência para guardar o que vale a pena, sejam livros ou sentimentos. É não salvar tudo no Favoritos e só se alimentar dali. Tem sempre uma janela se abrindo, seja na tela do computador ou na vida.
Eu proponho desaprender algo todos os dias. Esquecer as lições com cheiro de mofo, as fórmulas prontas e agir mais no improviso. Como se cada dia fosse o primeiro dia de aula de um professor.

2 comentários:

Lu disse...

Perfeito como sempre, Magali! É bem isso: desaprender, e não emburrecer, é tão necessário quando aprender. Arrisco dizer que é até mais difícil desaprender do que aprender. Mas vale a pena a tentativa de dar um refresh na vida.
Beijão

Blog da Fatima disse...

Concordo plenamente.
Como agente acumula lixo na nossa mente. Não reciclamos, roupas, objetos, brinquedos, etc? Pq não reciclar tbem informações que não são mais úteis, embora um tenham sido. Mas e ai? Os tempos são outros, coisas novas a gente aprende todo dia!!
Bom findi..

bjos no ♥