18 de out de 2009

Índice de bem-estar

Nada é por acaso. Eu estava lendo a Zero Hora de domingo, com um aperto dentro de mim, e bati os olhos numa frase: bem-estar psicológico é prioridade. Bingo!, quase gritei na sala.
Era uma matéria sobre a pesquisa patrocinada pela Unimed Porto Alegre sobre o que os gaúchos consideram importante para sua felicidade e satisfação pessoal. As pessoas já não esperam milagre do governo, preferem contar consigo mesmas para ter uma vida menos ordinária, nem que seja emocionalmente.
Eu também estou lapidando meu bem-estar. Se pudesse o colocava dentro de um cofre, protegidinho. Tem que ter maturidade para identificar o que nos faz bem, e não me venha com a conversa de que dinheiro resolve tudo. Por isso o check-up da vida, proposto pela Unimed, é fundamental. Otimismo, convívio, confiança no próprio taco, lazer, cultura, hábitos que jogam a favor e não contra. Homens e mulheres, pelos menos nesse ponto, pensam igual.
No exato momento, posso dizer que meu índice de bem-estar emocional está acima da média. Mas tenho plena consciência de que isso é como um regime: mais difícil do que conquistar é manter. Quantas dietas malucas eu já fiz, e sempre as manutenções botaram tudo abaixo. O equilíbrio é o que garante a continuidade. Seja na salada ou na paz de espírito.
Dona Unimed, curti muito essa iniciativa. E pode me entrevistar na próxima pesquisa.

Um comentário:

Blog da Fatima disse...

Magali..

O meu bem estar está concentrado todinho no meu corpo, mais precisamente na dieta e nos exercicios que estou fazendo pra perder peso.


Tem selinho pra ti lá bo meu Blog.
http://fatimadisse.blogspot.com/

Bjos no ♥