10 de dez de 2009

Apelidos

Eu tive que rir dos guris ontem no almoço. Em segundos, eles rotularam o andar inteiro – nós, inclusive. Nem lembro qual era o assunto.
-Tem os Surdos, os Roqueiros, o Michel Alves...
-E nós?
O Rafa deu uma risadinha pra mim e disse:
-Nós somos os Normais.
Ahahahahahahahha. Que medo! Ele era muito pequeno quando a Vani e o Rui surgiram e deram um outro sentido ao termo normal. Com ou sem essa referência, de normais a gente não tem nada! Fiquei imaginando que apelidos o pessoal do prédio deve ter dado pra nós.
Os destrambelhados do 1901?
Os esquisitos do 1901?
Os manés do 1901?
A louca do saltinho e seus comparsas?
Melhor nem pensar.
Eu já contei dos meus vizinhos aqui do lado, surdos como uma porta. O apelido, além de perfeito, é um jeito de extravazar nossa raiva à TV sempre berrando.
O Michel Alves, que é goleiro reserva do Inter e tem voz de locutor de rádio, não precisa de apelido porque é literalmente uma figurinha de álbum. Também é a alegria dos colorados aqui de casa, uma compensação por ver o estádio do Grêmio da janela. Eu acho que o apartamento dele merecia um apelido: Concentração. O Ceará e outro jogador já moraram ali.
Os Roqueiros, nossos outros vizinhos de andar, não usam preto nem couro, nunca se jogaram pelados de madrugada na piscina ou destruíram o elevador. Eles são um casal sem filhos mas com Wii, PlayStation e Rock Band completo (imagine a cara de inveja do Rafa dizendo “até com a bateria escrito Os Beatles, mãe!! )
Seguindo essa instrutiva análise sobre apelidos, o certo é que eles pegam e têm vida própria. São a forma mais antiga de rotular, porém com o álibi da diversão.
O Rafa é Baba (teve o azar de babar na mesa de pingue-pongue do colégio na primeira série). Desde então, o Fabio virou Babinha ou Baba Júnior (e adora). Eu, não. Pensei tanto em nomes que rendessem apelidos fofos como Rafinha e Fabinho! Podia ser pior, eu ter em casa o Ranho e o Frieira.
Na turma aqui do condomínio, tem o Pulga (baixinho), o Salsicha (magrão), o Bronha (sem comentários). No colégio, tem o Guilherme que é Bob e o Gustavo que é Biriba. Será que as meninas também se apelidam desse jeito? A Mamilo, a Virilha. Duvido.
Eu gosto de ser Maga. Dá um ar de sabedoria e evoca poções mirabolantes, como fazia a Maga Patológica no gibi do Tio Patinhas. Puxa, vou ter que descobrir os nossos apelidos aqui no condomínio. Será que eu sou a Vani?

Um comentário:

Fernando Ribeiro disse...

Poutz, preciso contar, meu apelido é "Feioso" entre os amigos do colégio e entre os amigos dos amigos do colégio. Pras gurias, é só "Feio" (ufa!). Desde a sexta série, tem gente que nem sabe meu nome. Pior - "é Feioso do quê?", perguntam. Isso fez eu gostar mais do meu nome, no caso, Fernando.