16 de fev de 2009

Não diga nada, lhe direi tudo

Linha branca, para quem trabalha com varejo, significa eletrodomésticos (uma expressão do tempo em que geladeira só existia na cor branca). Agora para quem trabalha com cartas e tarô, linha branca significa magia boazinha.
Ah, tá. Entendo mas continuo com medo. Em toda a vida, fui uma única vez à cartomante. A mulher pegou minha mão e foi de uma objetividade cruel: “Você tem a linha da vida curta. Três pontinhos.” Levantei e fui embora, já sentindo fortes dores no peito.
De lá para cá, só leio horóscopo. Isso se tiver mais alguém na sala. A cada aniversário, lembro daquela trainee de Madame Min. Quero chegar aos 99 para ela ver minha foto no jornal e reconhecer “putz, errei feio”.
O trauma branco com cartomantes e suas facções não me impediu de pegar um simpático folhetinho. Estou com ele em cima da mesa. Aqui diz que, com fé e confiança, essa pessoa pode abrir os meus caminhos com banhos e fluídos para amor, segurança e inveja. Já passou tanto tempo, né? Talvez eu marque hora. Hoje em dia não é qualquer um que se oferece para resolver todos os nossos problemas.

Nenhum comentário: