15 de jun de 2009

Lar, criativo lar

Estou numa fase de invencionices decorativas. Engraçado que essas fases sempre aparecem em momentos de limitação. Não posso comprar tudo o que eu gostaria, então invento. Também não consigo exercitar toda a minha criatividade no trabalho – mas lá em casa, posso fazer o que eu quiser.
Uma coisa que adoro é redefinir funções para os objetos. Transformei um copo de caipirinha sem uso num vaso de vidro. Em vez de flor, coloquei uma pimentinha linda. Bobagem pra muitos, diversão garantida pra quem curte casa e decoração. Ainda no segmento natureza, sempre dá pra investir em flores charmosas e abrir os armários atrás de cachepôs vintage (que podem ser ex-ninhos de Páscoa ou aquelas cestas de presente).
Uma ideia desencadeia a outra, é só ter bom gosto e não ter medo de errar. Plantas que mudam de lugar são ótimas geradoras de insights. Esses dias coloquei a bromélia pra fazer companhia ao cactus, mas ela ficou nanica demais perto dele. Inventei pra já uma mesinha descolada. Fiz uma pilha de livros e usei como sustentação um bauzinho relíquia, que foi caixa de costura da minha vó. O problema é que deu vontade de reler aqueles livros e ter minha vó de novo por perto. A gente consegue fazer chover com o que tem em casa. Quem guarda, sempre tem. Eu, por exemplo, tenho boas lembranças da minha mãe mudando os móveis de lugar, inventando uma sala nova pra gente.
Não é todo dia que dá pra surtar e comprar tudo. Aliás, consumismo exagerado é coisa de Dubai. Reaproveitar é tendência (ou, como preferir, sobrevivência). Um sofá ainda com vida útil renasce com um tecido moderno e um bom estofador. Um edredon novo deixa o quarto inteiro com jeito de tinta fresca. Almofadas merecem trocar de roupa de vez em quando. Uma mesa de jantar pode ganhar cadeiras. Dá pra trocar ao$ pouco$ – quem não perdia Friends vai lembrar da mesa da Mônica, com uma cadeira diferente da outra. Os blogs de decoração sempre dão dicas ótimas, tenho vários nos meus preferidos. O que são os Antes e Depois?! Banquetinhas podres se transformam em objetos de desejo. Puro senso estético. Exclusividade a preços módicos.
Amanhã é aniversário do meu apartamento. Há dois anos, mudamos de endereço. E a cada dia, ele vai mudando com a gente. Os porta-retratos vão ganhando vida. Sempre tem espaço pra invencionices. A decoração de uma casa só termina no dia em que a gente se muda para a próxima.

4 comentários:

Cammy disse...

Com certeza, poucas coisas dão tanto prazer na vida quanto ficar inventando "novos ambientes" com tudo que já tenho em casa...
Parabéns pelos teus textos, entro todo dia no blog pra lê-los e refrescar um pouco a cuca!

Marcia disse...

Acredita que eu assistia todos os episódios e nunca percebi as cadeiras da mesa da Mônica? Olho de publicitário é outra coisa!!

Monica Loureiro disse...

Menina, que delícia !
Parece que estou vendo as cenas....
Tudo tão acolhedor....
Me senti em casa....
Parabéns !

Fernanda Reali disse...

Sim, sim, sim - concordei com tudo! Eu vivo desmanchando almofada e refazendo com outro pano, o que era quadrado vira retangular, o que era retangular vira rolinho, vou inventando conforme as estações vão mudando.
Também mudo cores de parede sazonalmente. Tiro boas dicas do site das Tintas (Coral, Suvinil) e do Better Homes and Gardens.
Bjs