1 de jun de 2009

Em boca fechada não entra mosca

Nem brigadeiro, torta, hamburguinho, balas, chocolates. Semana passada foi aniversário do Fabio e fizemos duas micro festas, uma para família e outra para os amigos. Que estrago!
Minha geladeira segue insuportavelmente atrativa, então hoje cedo fui forçada a fazer um juramento: foco na gaveta das verduras. Por que eu sempre acho que os convidados vieram do campo de concentração e estão tão fracos que nem conseguem caminhar? Na verdade, eu sei. Minha mãe fazia o mesmo (até hoje é assim). Encomendava comida para o bairro todo. As sobras dos aniversários duravam dias - para o nosso deleite. Mesmo contra a vontade, alguns exemplos grudam no inconsciente. A gente acaba gastando mais do que precisa e depois sofre para gastar as calorias.
Vou me concentrar nas saladas, é o jeito. Trouxe uma macieira para o trabalho. Nada como uma segunda-feira gelada e um jeans apertado para cair na real. Sopão e corridinha, vamos lá. Deseje-me força!

(Você não sabe o que são dez meninos zoando, num sábado de chuva. Separados, eles são uns amores. Juntos, se transformam em seres endiabrados. Foram longas horas, onde nem a indústria dos games surtiu efeito. Haja glicose para acalmar os convidadinhos e a dona da casa.)

Um comentário:

Fernanda Reali disse...

Parabéns, o bebê está crescendo!!!
Daqui a pouco, vai comemorar com os amigos à noite, e a casa vai ficar quietinha, quientinha...
Céus, nem sei o que é pior!
Feliz Aniversário para ele!