22 de jun de 2009

Metade cheio, metade vazio

Parece mentira que 2009 já está na metade. Não que ele tenha passado rápido - a porcaria da crise arrastou suas correntes nos últimos meses. Deixando meu lado pessimista se manifestar, estou sobrevivendo com dignidade. Ok, ok, uma pequena correção no verbo: vivendo. Tive sustos, decepções, medos, sigo cheia de dúvidas mas tenho certeza de que estou mais forte. Traçando um gráfico desses altos e baixos, acho que me mantive na média. Ok, ok, acima da média. Isso por mérito dos três homens que fazem eu ter a família mais maravilhosa do mundo. Eles são o meu Buzzlighteer, sempre dizendo “Para o alto e avante!!”
No fim do ano passado, eu tentava imaginar como estaria agora. Bem melhor, o tempo realmente tem poderes curativos. E ainda falta uma metade inteira pra 2009 deixar boas lembranças. O negócio é receber o segundo semestre de braços bem abertos e correr atrás do que ainda não aconteceu. Se eu fosse um copo, estaria sempre metade cheia – os meus vazios faço questão de preencher rapidinho.

Um comentário:

Fernanda Reali disse...

Restylane, botox, literatura, amor, não importa, o importante é que a gente se preencha, porque o vazio não melhora o bom humor.Cada dia gosto mais de passar por aqui!
Bjs