11 de mai de 2009

Enxergando o futuro

Ontem conheci dois vizinhos do Casa Hermosa. Se essa minúscula amostragem indicar alguma coisa, vai ter muita gente legal por lá. Nesse momento, o condomínio é só mato e docs bancários. Então é reconfortante conversar com outras pessoas que também se apaixonaram pela casa decorada – o trunfo do corretor moderno.
Tem mais gente sonhando com janelas sem grades e opções de divertimento além do vento Nordestão. Não tenho um cimento pra chamar de meu, mas já gostei dos vizinhos. Números de casas é o que podemos trocar por enquanto, depois vai dar pra trocar nome de estofador e mudas de árvores que florescem o ano inteiro. Agora, o prazer é abrir a planta baixa pra localizar os conhecidos. Nossas casas são bem próximas. Se eu der a volta de bicicleta na quadra, tenho pra quem abanar. Ela é irmã da minha nova cunhada, e essa feliz coincidência mostra que nossas famílias têm tudo pra se aproximar ainda mais. O engraçado é que esse casal também escolheu o Casa Hermosa por causa de um grande amigo que comprou no Pacific.
Essa onda de condomínios lembra um Orkut offline, onde as comunidades se agrupam por interesses em comum. Um belo viral boca a boca, que está fazendo o litoral se reinventar. Acabou a supremacia do mar chocolate. Vai dar praia (ou lago, quadra de tênis, piscina, academia) sempre que a gente quiser.

Um comentário:

Fernanda Reali disse...

Posta aqui uma foto do terreno onde surgirá a casa de vocês. Depois vai tirando outras, do mesmo lugar, e postando a cada 3 meses mais ou menos. Deixa a gente acompanhar essa gestação contigo!
Bjs