4 de mai de 2009

Twitter

Escapei ilesa do Orkut. Fiquei tentada com o Facebook mas resisti. Do Twitter, não deu pra evitar. Adulto também precisa de brinquedinho novo, né?
Entrei com motivos nobres, só pra dar uma espiada em como a coisa funciona. Caí na armadilha. Imediatamente os caras cruzaram com meus contatos de e-mail e já foram mostrando quem está lá. Começou a cachaça. As fotos dos amigos são copinhos enfileirados em cima do balcão. Mandei um atrás do outro. Me senti no “ligue djá” do Shop Time: sem ter certeza de que eu queria, fui clicando em nomes para seguir e ser seguida. O Twitter é impulsivo e divertido. Bom pra ver os amigos – melhor seria encontrar pessoalmente. E assim a gente vai escrevendo bobagem e vasculhando nos seguidores dos outros, pra aumentar a listinha.
Todas essas invenções foram feitas pra roubar o nosso tempo, isso sim. Chega a ser maquiavélico. Mais uma janelinha pra ficar aberta na tela. E pra olhar a cada instante. O problema é achar algo interessante pra dizer no Twitter. Quem vai ler tantas bobagens? Muita gente, o que é pior. Vicia acompanhar o besteirol do outro.
Gerar conteúdo pode ser cansativo. Eu não sei até quando vou aguentar. É um terceiro turno pra quem escreve o dia inteiro, como eu. O princípio do Twitter é ser um mini blog onde cada um conta o que está fazendo naquele exato momento, um pensamento em voz alta e com até 140 caracteres. Devia ser algo espontâneo, mas ninguém quer dar a cara pra bater de graça. Publicitário, então! Deve ter muita gente fazendo brain pro Twitter.
E os conteúdos vão acumulando: é post pro blog, é frasezinha pra botar na mensagem pessoal do MSN, é ter o que dizer mil vezes por dia no Twitter. Se sobrar tempo, a gente trabalha. Sem falar nas fotos pra acompanhar tudo. Nenhum mané vai botar uma fotinho qualquer, ela tem que ser estilosa, artística, conceitual, ter cortes e ângulos modernos. Até foto tem que passar conteúdo e ser cool. E as senhas pra se logar nisso tudo? Socorro! Tá pior que senha de banco, daqui a pouco eu vou twittar no caixa 24h. Quero brincar, quero seguir meus amiguinhos (parece o velho pega-pega). Dá pra contratar um personal-atualizator pra cuidar de toda essa parafernália?

2 comentários:

Cris Francioni disse...

Isso mesmo, Maga. A gente não quer se expor, não quer falar merda, mas ficar de fora também é ruim. Eu acabo sendo uma foto jogada, entro em tudo, olho todos, mas não me coordeno com tantas atualizações. Escrever o que, caraca? Que eu esmaguei meu dedo na porta do carro sexta e tô aqui toda enfaixada, mal conseguindo escrever? Quem quer saber isso?
Saudades, amiga.
Vamos fazer um Twitter ao vivo qualquer hora dessas?
Bjs, bjs

Lu disse...

Pior, Magali, é que se ainda não surgiu nenhum espertinho querendo faturar como personal atualizador de conteúdo, isso não vai demorar muito pra acontecer. É só lembrar que já existe no mercado pesonal atualizador de IPods.
Em tempos de vacas magras e crise econômica vale tudo.
Beijos