21 de mai de 2009

Salta uma capa dura na mesa 5

Eu já quis ser dona de banca de revistas, daquelas bem completas e com todos os títulos importados, só pra ficar o dia inteiro lendo tudo. Também já quis morar dentro da livraria Cultura, logo que ela abriu em Porto Alegre (vigia noturno seria uma boa opção). Só de pensar nisso, deu saudade da maravilhosa livraria Travessa do Shopping Leblon – e daquela outra enorme, que esqueci o nome, no subsolo do Rio Design. Era o recreio das viagens a trabalho.
Ando com fome de livros (eles entraram no regime forçado da crise). Agora é como a necessidade de ferro pra tratar uma anemia. Livros fortalecem a gente. Sempre que eu termino um muito bom, fico com medo de me frustrar com o próximo. Aí dou um tempo, me distraio com revistas. Anoto os lançamentos, os autores que eu nunca li, e vou jogando um monte de papelzinho na bolsa.
Preciso urgente comprar livros. Ontem de noite olhei pra minha mesinha de cabeceira e deu eco, de tão vazia. Vai ser difícil folhear vários e escolher um ou dois. E não quero fazer isso na correria, vou esperar até o fim de semana pra me jogar na Fnac, outra livraria que adoro.
Quero também resgatar uma caixa de livros que está guardada na garagem desde a mudança. Quase dois anos, não dá mais. Vai ser bom relembrar o que ficou pra trás e eleger o que vai voltar pra casa (pilhas de livros queridos são uma prateleira de porta-retratos).
Essa semana, eu li uma estante – como é legal somar todas as lombadas e enxergar o dono dos livros. Eu queria passar pros meus filhos esse gosto pela leitura, pena que o DNA não se encarrega disso.

3 comentários:

Fernanda Reali disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fernanda Reali disse...

Dá uma olhada neste blog, pois tem a ver com a atual conjuntura dos teus cabelos
http://terapiadeva.blogspot.com/
Não tem a ver com o assunto deste post, mas ainda estamos falando de cabeça...
Bjs

Monica Loureiro disse...

Nossa,
Achei a minha cara este Post e este BLOG !
Sou "viciadinha" em livros....
Troco, compro, vendo, empresto e nunca mais vejo....
Nem me fale !