23 de jul de 2009

Para cada dia ruim, tem sempre um dia bom

Ontem meus olhos arderam de choro (tudo ótimo com a minha mãe!!). Hoje eles ardem de informação. Quero ler tudo, ler rápido, ler mais.
A web é mesmo uma cachaça. Fico eufórica quando descubro novos blogs e sites com conteúdo de primeira. Vontade de imprimir tudo – como se o papel impresso materializasse o conhecimento adquirido. Vontade de anotar esses endereços em algum lugar seguro – como se adicionar aos favoritos não fosse suficiente.
Essas fobias online acontecem direto comigo, tamanha quantidade de informação disponível para quem souber procurar. Cada site interessante leva a nomes, que levam a blogs, que levam ao arquivo das postagens (meu deus, esse cara genial escreve coisas geniais desde... 1991!?). E sem falar nos títulos de livros que surgem nesses lugares todos. É de enlouquecer. Aprender com a experiência de outras pessoas é simplesmente incrível.
Pra ler tudo que eu descubro, só tem um jeito: cometer um crime hediondo e pegar prisão perpétua (me certificando anteriormente de que posso ter na cela um netbook com banda larga). Aí eu fico bem quietinha e finalmente consigo ler TUDO. Até os olhos saltarem para fora (melhor levar fita dupla face).
Na verdade, existe um outro jeito. E que não compromete a minha reputação. Selecionar o que eu realmente preciso ler. Priorizar, que seja. Mas é tão difícil.
Acho que vou tentar primeiro essa opção.

Nenhum comentário: