17 de ago de 2010

Back to the basic

Eu adoro invenções que facilitam, amo praticidade, mas às vezes tanta criatividade me irrita. Tome como exemplo o setor de caldos para cozinhar, que deu pra reinventar a roda (no caso, o quadradinho). A trinca caldo de carne/galinha/legumes já resolvia a vida.
Agora tem caldo de picanha, costela, carne sabor vinho, costelinha de porco, galinha caipira, frango a passarinho, frango assado. Alguém pode explicar a real diferença entre um e outro?
Minha teoria é a seguinte: os caldos são os novos Gremlins, aqueles bichos do Spielberg que se multiplicavam em contato com a água. Daqui a pouco, vamos encontrar caldo de panqueca, caldo de sushi, caldo de sobras do almoço. O pessoal do setor de chiclés já perdeu o controle da situação. Depois do Bubbaloo Melancia, o mundo mudou. E para um gosto pior.

2 comentários:

Katia disse...

Mas confesso que Trident de Melancia foi uma otima invenção! E não tem o incômodo de fazer ninguém se sentir mal (na verdade queria dizer arrotar)!

Quanto aos caldos, tive a curiosidade de ler um dia destes as especificações técnicas. Tem uns que dizem ser light ou com menos sal... hummm... sabem que a porcentagem de real menos sal é muito pouca! Mas mesmo assim comprei pensando no meu coração do futuro!

Fernanda Reali disse...

Evito os caldos por causa do excesso de sódio que incha a gente, glutamato e corantes, tudo cancerígeno, mas de vez em quando não resisto. Não dá para fazer feijão sem um caldinho Knorr.

Já o Maggi é intragável, consigo diferenciar os gostos. e chicletes com açúcar, nem pensar!

Postei uma tortinha hoje, peça ao teu personal chef para fazê-la.

bjs