12 de ago de 2010

A revista que eu levaria pra uma ilha deserta

Eu leio a TPM desde o primeiro número, e olha que ela já completou 8 anos. Leio porque os textos são inteligentes, irreverentes e verdadeiros. E poupo a leitura, para que a revista dure bastante. Terça-feira foi diferente. Achei a TPM na banca do aeroporto de Congonhas e comprei salivando. Comecei a ler antes de afivelar o cinto de segurança, feliz por ter uma hora e meia de sossego só para nós duas. Mas me contive a tempo. Eu ia me arrepender se a devorasse inteirinha, conforme o planejado.
Na edição desse mês tem uma matéria maravilhosa sobre as cobranças que as mulheres sofrem por não se enquadrarem no roteirinho esperado. Parabéns pelo depoimento da Nina Lemos. Podia fazer parte da campanha Beleza Real da Dove.


Nenhum comentário: