19 de set de 2008

Mais uma crônica que virou anúncio. A tal da cumplicidade. Ou traduzindo: eu em cada linha, anos e anos de amor e ódio com o espelho.

Mulher é tudo igual. Adora espelhos.

Sabe por que nós temos essa atração por espelhos?
Porque é uma relação olho no olho – e isso mexe com uma mulher.
É tanta cumplicidade que chega a dar ciúmes: a gente se olha na intimidade do quarto, na sala dos outros, na rua, no meio do trabalho e nem precisa falar.
Mulheres não vivem sem espelhos e a recíproca é verdadeira.
Eles são confiáveis, elegantes e discretos. A alça do sutiã está aparecendo? Marcou a calcinha? Pode deixar que um espelho vai deixar você ficar sabendo.
Alguns são verdadeiros gentleman: abrem as portas do carro e cedem o retrovisor para você se olhar. Um bom espelho diz a palavra certa na hora certa. Se você quer elogios localizados, ele mostra um cílio bem maquiado. Se você quer elogios rasgados, ele pede para você dar uma voltinha e massageia sua auto-estima de cima a baixo.
Tem mulheres que preferem o espelho estilo paixão antiga, que está sempre dentro da bolsa e por dentro de tudo. Tem mulheres que não resistem a um espelho estilo amor à primeira vista - aquele que surge do nada, na fachada de um prédio. Outras sonham com o espelho estilo beijo roubado, que faz a gente ficar na pontinha dos pés para conseguir se ver melhor.
Numa coisa as mulheres concordam: espelho nunca é demais. O segredo dessa química? Ficar juntinho de segunda a sexta, um espelho de teto no sábado e cada um no seu canto aos domingos.

2 comentários:

Clarissa disse...

Magali, que lindo, adorei! Beijos

A Autora disse...

Obrigada por escrever o que eu sempre senti em relação aos espelhos mas nunca encontrei as palavras pra expressar.

Estou linkando.

Bjs