31 de mar de 2010

Mais uma crônica para o site do Bourbon Shopping

Cerimonial do coelho

Para mim, papel celofane tem gosto de Páscoa. Nunca mastiguei um, mas posso garantir. Ele me transporta para outros tempos onde ninguém tinha inventado a contagem de calorias.

Quando eu era pequena, a Páscoa durava meses. Os ovos eram tantos que lotavam os armários da cozinha. A gente enjoava de chocolate. Para ganhar espaço, minha mãe quebrava tudo em pedaços e guardava em latas de mantimentos. Os chocolates não tinham dono, eram propriedade da família.

Apesar do alto nível de glicose no sangue, nunca esqueci as cenas da porta da rua aberta e as cestas enormes do lado de fora. Lembro dos papéis celofane e suas pontas quase tocando o teto, a luz do corredor ganhando reflexos coloridos, a transparência num jogo de esconde-esconde com os ovos.

Descobri o que eram efeitos especiais brincando com o celofane que sobrava da Páscoa: a gente criava o tataravô dos óculos 3D. Uma pirotecnia modesta, era só colocar um papel celofane na frente dos olhos e – Oh!! – até o pai e a mãe ficavam vermelhos! E verdes, azuis, amarelos! Nada saltava ou explodia, apenas a imaginação. Hoje, acho que as alucinações de cacau é que davam esse barato.

Na década de 90, passei para o outro lado da força e comecei a alimentar a memória visual dos meus filhos. Estranhamente, não viajei no celofane. Foquei esforços na cenoura deixada na janela, nas pegadas e – Oh!! – nos restinhos que "ele" deixou.

Nesta Páscoa, não esqueça o cerimonial do coelho. Garanta um mínimo de emoção e magia, esconda o presente pela casa mesmo que seja uma linda calça jeans sob encomenda. Embale os sonhos, não só as cestas.

Imagem: Flickr

2 comentários:

Joece disse...

Realmente é triste ver como as crianças de hoje dão outro significado para a Páscoa ... elas nem querem mais procurar a cestinha, só querem aqueles ovos com um monte de bagulho dentro de depois de um mês não tem graça nenhuma ... algumas mães ainda conseguem deixar viva a imagem do coelhinho da Páscoa, o que realmente é uma missão nada fácil, admiro elas e viva a imaginação!!!!
FELIZ PÁSCOA!!!!

Paty disse...

adorei..

hj em dia eh td diferente...

criança, jah ñ fala como criança..
são cheios de gírias e tecnologias...

axo q são poucas a famílias, q fazem o ritual de esconder ovinhos p/ os filhos procurar...

eh uma pena.. pois eu axo legal...

qndo tiver meus filhos, por mais q tlvz seja cafona, ou fora de época.. eu farei isso..

bjinhus..

adoro seu blog!!!