2 de abr de 2009

Já é Páscoa na crônica do Bourbon Shopping

O segredo da Páscoa

Sabe por que os pais dão ovos de chocolate para os filhos, mesmo depois de crescidos? É um plano infalível. Ou pode chamar de troca justa. Chocolates por um pedaço a mais de infância. Só um pedacinho, vai.
Tudo é planejado desde o exame positivo de gravidez. Os pais se olham e chegam à fatídica conclusão de que, um dia, aquele grãozinho que aparece na primeira ecografia vai crescer e virar gente. Pior, vai ser adulto. Então os pais se antecipam e o plano começa a engatinhar. A Páscoa é sempre uma bela oportunidade de prolongar a inocência e suas risadas infantis.
Quando os filhos são pequenos, a gente ensina a acreditar no coelhinho. Cria um contexto lúdico e fofo. Faz pegadas de farinha pelo chão. Deixa a cenoura na janela (se tiver rede de proteção, como lá em casa, melhor facilitar a vida do coelho e evitar questionamentos pendurando a cenoura do lado de fora da rede). E na véspera do grande dia, despertador ligado - que medo de não acordar a tempo para os últimos preparativos!
Com esses recursos cênicos, é possível perpetuar o ritual. Que outra explicação para um pai que já passou dos cinquenta esconder ovos embaixo do sofá, correndo o sério risco de sentir uma pontada na coluna? Talvez seja o laço sanguíneo, mais que o laço de fita na embalagem, que faça os filhos crescidinhos procurarem o ninho pela casa. E muitos já sabendo, ano após ano, onde ele foi escondido.
Adolescentes, solteiros, casados, descasados - na Páscoa, todos os filhos voltam a ser criança para o encantamento dos pais. Uma caixinha de bombons é sempre uma carta na manga. E nesse plano infalível, o chocolate tem papel fundamental. Quanto maior o ovo, mais o filho entra na brincadeira. É como se a gente conseguisse parar o tempo. Bendito cacau e suas variações com leite, avelãs, nozes, castanhas e amêndoas. Se beijo de filho já é uma delícia puro, imagine com esses acompanhamentos.
Por isso os pais compram ovos e mais ovos. Não faz sentido tanto chocolate, a não ser para usar como moeda de troca. Tudo para ter nossas crianças por muitas e muitas Páscoas.

Um comentário:

Bibiana disse...

Santa moeda!!! Mas não é a única utilizada também neste tipo de relação, né, Maga...

Sempre há a necessidade de achar moedas correspondentes a cada tipo de situação para prolongar mais e mais...

Beijoooo
:)