27 de mar de 2009

A1 + B1 + C1

Cheguei à conclusão de que a rotina faz bem. Ela precisa existir, estabelecer a repetição e dar sequência aos fatos só pra gente, quando sentir vontade, romper com tudo isso. Jantar no café da manhã, se é que você me entende.
A rotina é uma tabela de Excel, certinha e racional. Ela organiza e calcula tudo para você, nem precisa conferir. O inusitado é um telefone anotado à mão, às pressas, num pedaço de papel. Os dois têm números, mas aí acabam as semelhanças.
Ao contrário da rotina, as surpresas da vida não cabem naqueles retangulinhos. Boas ou ruins, elas são imprevisíveis e surgem em formatos diferentes. As voltas que o mundo dá também não encaixam numa coluna do Excel. Não tem como planilhar quando você vai estar por baixo ou por cima da carne seca. O mundo vai dar as famosas voltas quando ele bem entender, esteja atento.
Por isso a rotina é útil. Sem um padrão vigente, perdemos o comparativo. É bom se deixar levar pelas banalidades da semana para valorizar um dia com fortes emoções. E ele aparece assim, sem mais nem menos.

Um comentário:

Lu disse...

A rotina pode ser cruel e deliciosa ao mesmo tempo, pelo menos é essa a minha constatação atual. Eu não me viro bem se ter uma rotina pré-estabelecida, sou programada, mas ao mesmo tempo acho que a rotina acrescenta uma boa dose de tédio na vida da gente. Tô um pouco sofrendo desse mal, sei que existe remédio, mas estou tão absorvida pela rotina que eu mesma criei que não me vejo capaz de fazer alguma coisa.
Vai entender.
Beijos
LuRodrigues