13 de mar de 2009

Cabide enterrado

Hoje foi um daqueles dias. Minhas roupas aprontaram, estavam de sacanagem comigo. Devem achar engraçado uma mulher adulta mudar de ideia sem parar. Eu já tinha escolhido o que vestir, estava tudo certo, inclusive perdi minutos preciosos ligando o ferro para retocar uns amassadinhos.
Elas nem levaram isso em consideração. Fizeram eu trocar, trocar, trocar. Me confundiram. O que ficava bem isoladamente, no conjunto não funcionava. As cores brigavam, eu tentava apartar. Até bolsa e lingerie eu mudei. Já nem sabia se olhava pro espelho ou pro relógio. O café foi engolido em pé na cozinha, o mamão voltou intacto pra geladeira. Nem lembro o que passei no pão - espero que não tenha sido batom.
Eu já tinha corrido o suficiente na pista, não precisava dar voltas e voltas ao redor de roupa. No elevador, encontrei minha vizinha. Ela também estava atrasada e, adivinhe, pelo mesmíssimo motivo. Outro cabide enterrado. Nesses dias, a gente devia chegar no trabalho com atestado justificando o atraso.

Nenhum comentário: