27 de jul de 2010

Filho de publicitária

Eu senti muita necessidade de dar alguma explicação para a professora do Fabio. Esses dias veio um desenho para terminar em casa. Sabe como é, última semana antes das férias, todo mundo na contagem regressiva e fazendo um desenho livre para relaxar.
No carro, ele veio contando que não era pra pintar, era pra fazer uma colagem (= cola grudada em tudo + papel picado pelo chão) e que o desenho estava ficando superlegal.
-O que tu desenhou, filho?
-Um homem segurando uma latinha de cerveja. E escrevi "Skol. A cerveja que desce redondo!"
Como assim? Cerveja num desenho da quarta série??
Fiquei com vergonha antecipada da profe. O que ela ia achar? Dez anos e alcoólatra? Os pais bebem ceva no café da manhã?
Coloquei a culpa na minha profissão, já que ninguém bebe cerveja lá em casa. E mandei um bilhete na agenda explicando que o Fabio deve prestar mais atenção do que devia nas propagandas. Pior que o desenho ficou bonito. Mas não dava para ser uma latinha de Kuat Zero?

4 comentários:

Alexandra disse...

Oi Maga
É bem assim mesmo. A Cata tinha 2 anos quando falava os slogans do Cheetos e de uma marca de brinquedos.
Bjcs
Alexandra

Juliana disse...

Essa propaganda a serviço da sociedade capitalista aliena a mente das crianças desde pequenininhas.

Andresa & Joece disse...

hehehe .... dei boas risadas com esse texto imaginando a situação!!!! =D ... Adoro seu blog.

Márcia Gonçalves disse...

Magali, pior era o Gabriel que, antes de saber falar, olhava as latinhas de cerveja dentro da geladeira, apontava e dizia: "papai, papai!" hahahah
Beijão prima!!