15 de jul de 2010

Me empurra bem alto?

Do pouco que lembro do início da minha vida escolar, está o tombo grosseiro que levei numa chegada ao colégio, tendo que voltar pra casa porque a meia-calça tinha rasgado (vaidosa desde sempre). Tombos ridículos, tenho vários pra recordar. Só que a lembrança mais forte de todas é da professora que não deixava a gente andar de balanço porque era perigoso demais.
Querida, onde quer que você esteja, fique sabendo que o grande perigo daquela época foram as bolachas recheadas, que permanecem nas minhas coxas até hoje.
Por que meus pais não reclamaram desse excesso de zelo? Porque pais adoram superproteção. Talvez a tal professora não tivesse filhos e treinasse suas habilidades maternais com a gente. Naquele tempo, as crianças eram inocentes demais para contestar e se rebelar. Andar de balanço é um clássico do recreio, aquela mulher nos privou de voar bem alto e forte, sentindo o vento no rosto (o equivalente a passear em uma Harley-Davidson aos 6 anos).
Muuuito tempo depois, quando os guris eram pequenos, eu dei algumas andadinhas de balanço. Não foi a mesma coisa. Meus pés encostaram no chão, e isso reduz significativamente a adrenalina. Tem coisas que precisam ser aproveitadas na hora certa, é isso.

Foto: FFFFound

Um comentário:

Tah disse...

Balanço era tudooo de bom...
Tenho excelentes lembranças destas pequenas traquinagens...

Bjs, adoro teu blog, n comento por relaxada!