6 de jul de 2010

Mas já????

A morte dos outros sempre faz pensar na nossa própria morte. Eu, pelo menos, penso. Hoje morreu um cara muito querido no meio publicitário gaúcho, nós já fomos colegas e agora ele trabalhava aqui pertinho. Foi de uma hora pra outra, caminhando na rua. Fiquei sabendo pelo Twitter, que serve até pra anúncio fúnebre. O que mais comove é que o Xuri (ele era esquisitão como o nome) tinha menos de 30 anos. Na ordem natural das coisas, os velhinhos devem vir primeiro.
Passei a tarde com essa sensação desconfortável de ver que a nossa vontade não conta muito nessa hora. Não adianta argumentar que ainda não fez isso e aquilo, que ainda não viajou para onde mais queria, que ainda não teve filhos ou não viu os filhos crescerem ou não viu os netos nascerem. Mesmo com a pauta cheia, acabou e pronto.

Foto: FFFFound

3 comentários:

Anônimo disse...

Não tem jeito: quando a galera lá de cima olha aqui pra baixo e aponta alguém, não adianta argumentar, espernear, tentar virar o jogo. A gente pode estar dormindo inocentemente em casa, pode estar andando a 100 Km/h numa rodovia ou simplesmente pode estar indo ali na esquina comprar um lanchinho. Quando a hora da gente chega, chega e ponto. E é triste mesmo quando a hora chega pra quem é tão jovem como o Xuri.
Beijos

LuRodrigues

Fernanda Reali disse...

Que desperdício! Morrer cedo é antinatural. Como diz uma tia-avó com sotaque italianado: Tenho uma peninha de morê...

Anônimo disse...

Passei o dia como vc Maga com coisas como essas do nada nos damos conta que estamos vivos e isso dá um medo.....a gente corre tanto, entrega tanto, responde tantos tantos emails e esquece de olhar pela janela, de demorar mais no cel com quem a gente ama e menos com quem a gente trabalha.... Pra pensar e q nosso amigo aproveite a maturidade em um lugar lindo como o nosso! Agora sem pauta. Bj gigio